16.10.2019
Sextas Eleições Gerais de Moçambique
As mesas de voto abriram  às 7 horas e cerca de 13 milhoes de moçambicanos foram as urnas para escolher o próximo Presidente da República nas sextas eleiçoes gerais que decorreram no dia 15 de outubro de 2019.
 
O candidato da RENAMO à presidente da República, Ossofo Momade Votou, 10 minutos para as 09 horas, no antigo paiol da Ilha de Moçambique  localizado na Cidade de Macuti, teve de esperar para votar por causa do tumulto que envolveram os membros das mesas de assembleia de voto que levou a paralização temporária das urnas.
 
Enquanto que o Candidato Presidencial do Partido FRELIMO, Filipe Nyusi acompanhado pela sua esposa, votou na Escola Secundária Josina Machel na Cidade de Maputo.
 
O Candidato presidencial do MDM, Deviz Simango, votou no campus da UniZambeze na Cidade de Beira à cerca das 7 e meia e estava acompanhado pela sua esposa.
 
Um total de 1 milhão e 100 mil eleitores foram os potenciais votantes que no dia 15 de Outubro de 2019 foram chamados a escolher o Presidente da República, 250 deputados do parlamento, 10 governadores provinciais e respectivas assembleias.
Estas eleições contam com 4 candidatos presidencias e 26 partidos a concorrer às legislativas provinciais. Apenas 3 partidos; FRELIMO, RENAMO e MDM, com assento parlamentar no país concorreram em todos círculos eleitorais.
Relata a DW - Imprensa Digital.
 
De acordo com o Jornal o País - Imprensa Digital, a Plataforma de Transparência Eleitoral denunciou irregularidades durante o processo eleitoral pelo facto de os Órgaãos Eleitorais não efectuarem o apuramento intermédio , um processo que devia ter sido a nível do distrito, 24 horas depois  da realização das eleições.
 
Pouca horas para as eleições o Presidente da Comissão Nacional das Eleições, (CNE) Abdul Carimo, fez uma comunicação exortando aos moçambicanos sobre a necessidade de afluirem as mesas de votação.