11.06.2020
Estudantes envolvidos no rastreio da COVID 19
No âmbito da prevenção do COVID 19 no distrito da Ilha de Moçambique, estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, estão, desde o inicio até ao fim do terceiro período do estado de emergência, envolvidos no processo de rastreio de pessoas na principal entrada de pessoas no distrito.
 
A actividade acontece através da parceria entre a FCSH e os Serviços Distritais de Saúde e Acção Social da Ilha de Moçambique.
O Técnico de Medicina Preventiva ao nível desses serviços, Ussene Momade, diz que essencialmente, os estudantes estão a fazer a leitura da temperatura das pessoas que entram na zona insular da Ilha de Moçambique. “Temos este trabalho a ser desenvolvido nas entradas de todas unidades sanitárias do distrito, mas pensamos que não é suficiente, porque não se pode esperar que as pessoas venham ao centro de saúde”, disse o nosso entrevistado, explicando que “era necessário intensificar o trabalho, indo ao encontro das pessoas”.
“Este trabalho já teria sido desenvolvido nos outros períodos do estado de emergência, se não fosse exiguidade de recursos humanos. Os estudantes da FCSH ajudam-nos a aproximar cada vez mais as pessoas”, disse Ussene Momade, considerando o envolvimento da Universidade Lúrio um contributo no processo de prevenção da Covid 19 a nível local.
Samira Hafiz Jamú é a estudante da FCSH que chefia o grupo de rastreadores na entrada principal que dá acesso à zona insular da Ilha de Moçambique. Diz sentir-se grata e motivada em fazer parte do processo, porque segundo suas palavras, “estou ajudar as pessoas a se prevenirem da Covid19” 
Ela apela as pessoas residentes no distrito a se precaverem do novo corona vírus, ficando em casa. “Só devem sair de casa, quando necessário e devidamente protegidos”.
O Director da FCSH diz que a contribuição da sua instituição nesta actividade visa minimizar o alastramento da doença no distrito, evitando que a situação atinja níveis comunitários, o que pode sobrecarregar o sistema de saúde local.
De salientar que o grupo de estudantes encontra-se devidamente protegido e antes do arranque do processo de rastreio de pessoas, foi submetido a um treinamento intensivo, o que permitiu adquirir habilidades de uso do aparelho que ajuda a medir a temperatura.