Museu da Ilha de Moçambique

O Palácio dos Capitães-Generais também denominado como Palácio de São Paulo, localiza-se na Ilha de Moçambique, em Moçambique na Província de Nampula. Foi erguido em 1610 com a função de Colégio da Companhia de Jesus naquele porto, no local de uma primitiva capela construída pelos portugueses junto à Torre de São Gabriel, em 1507, ano em que ocuparam a ilha, e que havia sido recentemente destruída no ataque neerlandês de 1608.

O imóvel foi consumido por um incêndio em 1670, vindo a ser reconstruído quatro anos mais tarde. No contexto das reformas pombalinas, diante da expulsão dos jesuítas do reino de Portugal e seus domínios, em 1759, o imóvel foi adaptado à função de palácio, para servir como residência do Governador e Capitão-General do Estado de Moçambique, função que conservou até 1898, quando a capital da colónia passou para a cidade de Lourenço Marques.

A partir dessa altura, o Palácio de São Paulo passou a ser ocupado pelo Governador do Distrito de Moçambique até 1935, quando a capital do distrito foi mudada para Nampula. Manteve-se desocupado até 1956, ano em que passou a servir como residência para o Presidente da República Portuguesa e seus ministros, quando em visita à colónia. Em 1969, o edifício foi remodelado, por ocasião da inauguração da ponte que liga a ilha ao continente.

Em 1975, nele pernoitou Samora Machel, durante a sua histórica viagem do Rovuma a Maputo e, como um dos seus guarda-costas destruiu uma valiosa poltrona de palhinha, o futuro primeiro Presidente de Moçambique decretou que o Palácio fosse transformado em museu, a fim de preservar o seu rico património. O palácio abriga dois museus: no pavimento térreo encontra-se instalado o Museu da Marinha; no pavimento superior, o Museu-Palácio de São Paulo, com uma coleção de artes decorativas, onde se destaca uma das maiores colecções do mundo de mobiliário indo-português.

Anexa ao palácio encontra-se a Igreja de São Paulo, em estilo barroco que, embora de pequenas dimensões, destaca-se pelo seu rico retábulo em talha dourada e seu púlpito em madeira policromada, ambos executados no Estado Português da Índia, no século XVII. Ao lado, existe a Igreja da Misericórdia, que funciona como Museu de Arte Sacra.

Membros: 
Nauito
Silvério João Nauaito
Director do Museu da Ilha de Moçambique
Nasceu a 16 de Outubro de 1959 em Ocua-Chiare, Província de Cabo Delgado, Moçambique.
Mestrado em Psicologia, de 1990 a 1994, na Umboldt-Universitat zu Berlim.
Curso de Formação de Professores na Escola de Habilitação de Professores do Posto Escolar de Chiure, em Cabo Delgado.
Participação numa capacitação de carácter político e técnico-profissional nas então antigas Zonas Libertadas, nomeadamente, Centro Piloto de Luanda, Centro Internato de Nandunduma (hoje Distrito de Muidumbe), Centro Internato Gungunhana (Distrito de Mueda) e Centro Internato de Lupudi (Distritode Nangade).
Bons conhecimentos das línguas Emacua, Português, Alemão e Francês. 
 
Contactos: Cel.: +258 82428490 ou Telf.: +258 26610047

Notícias

Não existem resultados a apresentar