19.09.2017
Comemorações do bicentenário esperado com grande espectativa
A Ilha de Moçambique iniciou os festejos dos 199 anos, no dia 15 de Setembro de 2017, que irão culminar com a celebração dos 200 anos desde que foi elevada a categoria de cidade, em 17 de Setembro de 1818.
Para o arranque das festividades, realizou-se a XV edição da feira gastronómica Tzoziva, limpeza das praias, inauguração de dois fontenários públicos, inauguração da nova biblioteca municipal e atividades diversas.
Saide Gimba, o Presidente do Conselho Municipal da Ilha de Moçambique, referiu que as actividades de carácter sócio-cultural serão realizadas até 2018.
 
Com efeito, em Março do próximo ano, a cidade da Ilha de Moçambique vai acolher o festival de tufo. Neste sentido, as autoridades da área cultural estão a preparar a submissão da candidatura desta típica dança ao património da Humanidade.
 
Em Abril vai acolher o festival internacional de música jazz, cujos preparativos estão numa fase bastante avançada, envolvendo várias instituições patrocinadoras nacionais, em coordenação com o Ministério da Cultura e do Turismo.
 
Ainda sem data marcada, o saxofonista moçambicano Moreira Chonguiça vai actuar num festival de rua que será caracterizado pela exibição de grupos culturais de música e dança tradicional da ilha, onde haverá exposição de artes plásticas, desfile de moda, feira de artesanato e gastronomia, numa acção promovida pelo Conselho Municipal da Ilha de Moçambique com o apoio de vários parceiros.
 
Em Junho, que começa com a celebração do Dia Internacional da Criança, será realizada uma acção com a finalidade de exaltar os petizes, neste contexto, as autoridades municipais locais promoverão concursos de dança, leitura e escrita, declamação de poesia, estando previsto a atribuição de prémios para os melhores.
 
Os festejos do bicentenário da Ilha de Moçambique não se resumirão apenas a realizações de âmbito cultural, uma vez que, para promover o turismo, a cidade vai acolher mais uma feira gastronómica, o “Tzoziva”.
Saide Gimba disse, ainda, que haverá mais eventos de grande importância para a Ilha e para o país, em geral, porém, estão a trabalhar no sentido de promover a cultura e o turismo.
 
Momade Ossumane, presidente da APETUR - Associação de Pequenos Empresários de Hotelaria e Turismo da Ilha de Moçambique entende é preciso ter em conta que a crise financeira não afectou apenas Moçambique, mas também os outros países, provocando a queda do poder de compra.